quinta-feira, 8 de maio de 2008

Como se destrói


Jornalista do Povo escreve artigo para criticar a greve dos ônibus, incitada por quem não reconhece legitimidade na atual gestão do sindicato da categoria.
A despeito de sua argumentação, o título escolhido sintetiza o assunto, mas tropeça no português. Não há acento agudo em "destróe". Na verdade, a palavra correta é destrói.

4 comentários:

Anônimo disse...

André, voce é mesmo um danado! Esta negrada além de pensar confusamente, escreve mais porcamente ainda. Pau neles, André, pau neles! Vão para a escola, mundiça!

Anônimo disse...

Como se "destróe" a lingua portuguesa.

Pedro Luiz disse...

Como assim não existe acento em destróe?????
Nem existe a palavra "destroe"!!!

André começa a estudar um pouquinho que tu vai reescrever assim:

(...)o assunto, mas tropeça no português. Não EXISTE A PALAVRA "destróe" OU "destroe". NA VERDADE O QUE ELE DEVE TER PENSADO EM ESCREVER FOI "DESTRÓI".(...)

O ruim de corrigir os outros é que temos primeiro que saber para nós mesmos.

Eu sei que vc não vai liberar esse comentário mesmo...

André Carvalho disse...

Pedro Luiz,
Bom você ter entendido que não existe a palavra "destroe". Sei do risco quando se tenta ser sintético. Alguns tardam a entender. Para não deixar dúvida aos retardatários: de forma analítica, eu disse que a palavra não só não existe, mas, se existisse, não teria acento. Tudo está resumido na frase "Na verdade, a palavra CORRETA é destrói". Quanto à penúltima oração de seu comentário, inteira concordância.